quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

2010

O meu ano de 2010 foi cheio de altos e baixos.
No geral, poderia dizer que mais baixos, que altos... e não que isso seja ruim. Tá, foi um pouco, mas com isso eu cresci e amadureci como nunca. Sempre se dá pra tirar alguma coisa boa das ruins.

Não sei exatamente o que é esse post ainda, penso em ser uma retrospectiva, mas não sei direito.

No inicio do ano, estava perdido do que faria ainda. Tinha tantas possibilidades que, no final, fiquei com a mais óbvia. Minhas férias não foram exatamente boas, mas valeram a pena.
Quando o cursinho começou, era o pior lugar para se estar. Eu realmente não gostava de estar lá, tanto que faltei muito no início (e como me arrependo disso).
Sei que meus primeiros meses de 2010 foram praticamente nulos - até mais ou menos maio.
Conheci pessoas divestidíssimas nesse tempo e outras nem tanto, rs.

A partir de junho, minha primeira experiência amorosa. E um tanto quanto precipitada, rápida e boa.
E com a decadência dela, meu mês mais sombrio. Nessa época eu realmente não era eu. Fumei tanto nessa época que até hoje é difícil chegar perto de um cigarro.

A partir de agosto, comecei a curtir a minha vida pensando numa só pessoa. É, é bem difícil, mas deu pra viver, até porque tinhamos a amizade um do outro e isso bastava.
E a partir das férias, comecei a ir bem mais no cursinho. Eu sabia que não iria adiantar nada ficar só de festa, tinha que me dedicar.

Apesar de ser o ano que mais estive afastado dos palcos, as poucas vezes que estive foram ótimas. O Teatro Produzindo Sonhos crescendo e crescendo; o Festival de Dom Pedrito (que deixou muitas saudades) e as minhas poucas temporadas das peças que amava. Além de me aventurar mais no teatro, como: co-diretor, sonoplasta, produtor e garçom. AHUAHUHUA
E vi muitas peças nesse ano e isso foi muito bom pro meu conhecimento. Ver que o teatro pode fugir do básico e ir pra lugares inimagináveis.

Tive a prova específica. Conheci mais pessoas maravilhosas e aquele mês todo foi maravilhoso! O melhor mês do meu ano... sempre lembrarei dele com muito carinho.
Em novembro foi um mês introspectivo, acho que foi ótimo pra mim passar esse mês comigo mesmo.
Em dezembro, foi o mês mais instável que tive.
No início, foi maravilhoso com a cia dos meus amigos queridos. Depois teve a despedida do Mazutti e um clima triste se instalou, mas como arrasamos sempre, ele se foi. ahuhauhuahua
Tive a comemoração do meu aniversário, que nunca me esquecerei... foram as pessoas mais queridas e importantes. Tive meu melhor presente de aniversário, que também mostrou que tinha seu lado ruim.
Aliás, devemos desejar o que queremos. Sempre pode vir junto algo desagradável. #experiênciaprópria
Esses últimos dias não estive muito bem, mas acho que por causa da pressão do vestibular... está a 15 dias e isso me assusta! Além de coisas que não vale a pena comentar, rs.
Não sei como o ano terminará, mas acredito que pra cima, já que depois da tempestade sempre vem a bonanza. E combinará com o ciclo de 2010!

A todas as pessoas queridas que conheci esse ano: Rê, Mineiro, Filippi Mazutti, Vini, Sil, Danuta, Lili, Léo, Di Nardi, Ander, Kevin, barra2010 inteira, Gabi Poester, Francine, Jana, Vi, alguns da barra2009 e outros que não lembro (e desculpa não citar o nome, mas é muita gente): espero que 2011 venha pra nos unir ainda mais. Valeu a pena conhecer cada um de vocês :D

A todos que estão comigo de outros carnavais: Keka, Áquila, Carol, Mi, Karol, Nãna, Bella, Guida, Gio, Ellen, Luísa, Lucas: que 2011 seja outro ano maravilhoso pra gente com muitas festas, trabalhos e coisas arrasantes!

Enfim, 2010 se vai e deixa algumas coisas pra se sentir saudades. Outras, pra ver como eu cresci.
Ainda não sei o que será de mim em 2011, mas o meu objetivo já está bem DeterminADo.[

Um ótimo Natal a todos e um Feliz Ano-Novo.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Alone In The Dark

Sabe, passar esse feriadão sozinho foi a melhor coisa que poderia ter me acontecido.

Eu talvez estivesse precisando de um tempo pra mim mesmo.
Eu tinha passado por uma semana estranha pós-festival, mas depois de passar duas madrugadas comigo mesmo fazendo coisas que eu gosto, eu percebi que só vamos ser felizes mesmo quando aprendermos a não depositar a nossa felicidade em outras pessoas.
A nossa felicidade depende unica e exclusivamente de nós mesmos.

Precisamos de contato social, isso é verdade. Só que a felicidade não está aí.
Não adianta estarmos rodeados de pessoas se não estamos bem interiormente.

Precisamos de um amor pra nossa vida. Só que a felicidade tbm não está aí.
Um simples dia esse amor pode acabar e você ficar destruído.

Agora que estou de bem comigo mesmo, vamos voltar a rotina e as atividades normais.
Uma otima semana a todos (Ou resto de semana).

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Never wanted you steal my heart...

Hoje o texto não é nada muito pensado, nem muito bonito, tampouco tocante.
É só sobre como pessoas e situações podem no afetar de uma maneira inexplicável.

Quando se convida alguém pra ir na tua casa, tu quer o quê? Ficar com aquelas pessoas.
Isso é simples, claro e certo.
Acontece de vez em quando de virem algumas que tu não queira, mas isso não vem ao caso.
Agora, algumas dessas pessoas que foram na tua casa, se separaram do resto e ficaram isoladas. Tu entende que elas querem conversar, dá privacidade, mas não justifica ficarem sozinhas 3 horas, sem te convidar a se juntar a elas só porque tu não falou nada (lembrando que quis dar privacidade e pensando que voltariam quando terminassem o papo). E ainda passarem por ti e tu simplesmente não existir pra pessoa.

Como tu vai ficar?
Afinal, tu convidou as pessoas pra ficarem contigo e fazem isso.
Com raiva, chateado e decepcionado, claro!

Daí depois de 4 horas, voltam, achando que tá tudo normal. Tu, com raiva, vai dormir. Daí vem encher o teu saco pra acordar, fazendo chantagenzinha e distorcendo a história.
E ainda querendo sair por cima.
Não tem pessoa que aguente.
Daí falam que tá fazendo "tempestade em copo d'água" e tem que relevar, dando lição de moral.

NÃO! Já relevei demais nos últimos tempos.
Não me agrada mais fazer só pelos outros.
Quer falar que to sendo imaturo? Fala. Tenho só 17 anos mesmo, coisa que sempre é lembrada.
Cansei um pouco de bancar o "adulto", o "forte".
Me deixa ter o meu momento de desmoronamento.
Toda água parada transborda.

E sabe o pior? É que eu não gosto de ficar assim.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Rápido e rasteiro, aquilo me tomou.

O pensamento humano é algo muito surpreendente.
É algo que não controlamos por inteiro, por que por mais que você teime em não pensar em certas coisas, lá vai o seu pensamento certeiro na direção daquilo que é "proibido".
Não importa o que tenha acontecido, seja algo divertido, conturbado ou até mesmo pesado, a nossa mente bota pensamentos subconscientes na nossa consciência.


Estava eu lá, deitado.
Tentando apenas dormir.
Quando aquele pensamento simplesmente apareceu em minha cabeça.
Não era nada difícil, nem complicado e muito menos impossível.
Era simples, mas tão simples que se tornava angustiante.
Eu sabia que não podia pensar naquilo. Pelo menos, deveria tentar, afinal tornaria tudo mais fácil.
Tudo o que meu corpo e a minha mente pedia era aquilo. Meu coração se dilacerava. Cada célula minha implorava. Não foi fácil lutar contra algo que eu sei que me faria bem.
As vezes na vida temos que fazer isso. Infelizmente.
Eu não tinha o direito de querer aquilo... ou pelo menos, penso que não.
E o pior, que aquilo era tão sufocante que não me deixaria dormir, senão fosse pelo fato de serem altas horas da noite e a noite ter sido longa e cansativa.
Nos mundo dos meus sonhos, o nada.
Pelo menos meu subconciente não deixou que aquilo tomasse conta de mim por inteiro.
No outro dia, outras necessidades foram aparecendo e aquilo ficou escondido, mas não tão profundamente, afinal era algo que fazia parte do meu presente.
E com os dias passando, o que eu não queria ainda não foi realizado.
Mas foi amenizado... e não há coisa pior para um coração apressado. Pois o que você realmente quer, não aconteceu, por mais que seja certo.
As palavras trocadas, os segredos compartilhados, as risadas dadas... tudo isso é tão forte. E tão enganador.
Se não pode ser de um jeito, que seja de outro.
Queria eu poder que tudo fosse de um jeito mais fácil. Mas quem disse que o coração escolhe o caminho mais fácil?

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Contradições.

Já escondi um AMOR com medo de perdê-lo, já perdi um AMOR por escondê-lo.
Já segurei nas mãos de alguém por medo, já tive tanto medo, ao ponto de nem sentir minhas mãos.
Já expulsei pessoas que amava de minha vida, já me arrependi por isso.
Já passei noites chorando até pegar no sono, já fui dormir tão feliz, ao ponto de nem conseguir fechar os olhos.
Já acreditei em amores perfeitos, já descobri que eles não existem.
Já amei pessoas que me decepcionaram, já decepcionei pessoas que me amaram.
Já passei horas na frente do espelho tentando descobrir quem sou, já tive tanta certeza de mim, ao ponto de querer sumir.
Já menti e me arrependi depois, já falei a verdade e também me arrependi.
Já fingi não dar importância às pessoas que amava, para mais tarde chorar quieta em meu canto.
Já sorri chorando lágrimas de tristeza, já chorei de tanto rir.
Já acreditei em pessoas que não valiam a pena, já deixei de acreditar nas que realmente valiam.
Já tive crises de riso quando não podia.
Já quebrei pratos, copos e vasos, de raiva.
Já senti muita falta de alguém, mas nunca lhe disse.
Já gritei quando deveria calar, já calei quando deveria gritar.
Muitas vezes deixei de falar o que penso para agradar uns, outras vezes falei o que não pensava para magoar outros.
Já fingi ser o que não sou para agradar uns, já fingi ser o que não sou para desagradar outros.
Já contei piadas e mais piadas sem graça, apenas para ver um amigo feliz.
Já inventei histórias com final feliz para dar esperança a quem precisava.
Já sonhei demais, ao ponto de confundir com a realidade... Já tive medo do escuro, hoje no escuro "me acho, me agacho, fico ali".
Já cai inúmeras vezes achando que não iria me reerguer, já me reergui inúmeras vezes achando que não cairia mais.
Já liguei para quem não queria apenas para não ligar para quem realmente queria.
Já corri atrás de um carro, por ele levar embora, quem eu amava.
Já chamei pela mamãe no meio da noite fugindo de um pesadelo. Mas ela não apareceu e foi um pesadelo maior ainda.
Já chamei pessoas próximas de "amigo" e descobri que não eram... Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada e sempre foram e serão especiais para mim.
Não me dêem fórmulas certas, porque eu não espero acertar sempre.
Não me mostre o que esperam de mim, porque vou seguir meu coração!
Não me façam ser o que não sou, não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente!
Não sei amar pela metade, não sei viver de mentiras, não sei voar com os pés no chão.
Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma pra SEMPRE!
Gosto dos venenos mais lentos, das bebidas mais amargas, das drogas mais poderosas, das idéias mais insanas, dos pensamentos mais complexos, dos sentimentos mais fortes.
Tenho um apetite voraz e os delírios mais loucos.
Você pode até me empurrar de um penhasco q eu vou dizer:
- E daí? EU ADORO VOAR!

clarice lispector

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Harriett

sabe que o meu gostar por você chegou a ser amor
pois se eu me comovia vendo você pois se eu acordava
no meio da noite só pra ver você dormindo meu deus
como você me doía vezenquando eu vou ficar esperando
você numa tarde cinzenta de inverno bem no meio duma
praça então os meus braços não vão ser suficientes para
abraçar você e a minha voz vai querer dizer tanta coisa
que eu vou ficar calada um tempo enorme só olhando você
sem dizer nada só olhando olhando e pensando meu deus
ah meu deus como você me dói vezenquando

caio fernando abreu

sábado, 17 de abril de 2010

Acho que já vi isso por aqui.

Aqui já falei sobre muitos recomeços.
Da minha vida profissional, estudantil e tudo mais.
E agora venho falar sobre mais um. (Que cara chato, só fala sobre isso. ¬¬)

Na noite passada percebi uma coisa: muitas oportunidades eu deixo passar simplesmente pela minha timidez ou até mesmo pela minha falta de coragem.
Não é só isso que eu sinto.
Fico inseguro, nervoso, com medo de falar algo errado, enfim.
E sentindo tudo isso, o que eu vou falar só pode ser merda, certo? Não sei, nunca tentei. E quando tentei, foi meio estranho. HUAHUAHUAHUA

E refletindo sobre isso, depois de umas palavras do meu amigo Áquila, pensei:
Se eu realmente quero aquela coisa, então vou lutar para te-lá. Não importa o que custar e o que tiver que ser feito. -t

E me despeço com essa frase de impacto. HAHAHAHA

domingo, 11 de abril de 2010

Brincadeira das Músicas

Uns amigos meus fizeram, me passaram e achei legal postar aqui.

É um jogo bem simples, só três regras.
- Ligar o player no modo Aleatório.
- Fazer a pergunta e passar a música.
- Responder com o nome da música, não importa o quão estranho dê.

Vamos as minhas respostas:
1. Como você está se sentindo hoje?
I Can't do It Alone - 3OH!3

2. Você vai avançar na vida?
Eu Preciso Dizer que te Amo - Cazuza e Bebel Gilberto

3. Como os seus amigos te vêem?
Please Don't Leave Me - P!nk

4. Você vai se casar?
Defying Gravity - Glee Cast

5. Qual é a música tema do seu melhor amigo?
Five Colours In Her Hair - McFLY

6. Qual é a história da sua vida?
Medley EMA 2009 (I Gotta Feeling, When Love Takes Over, Use Somebody, Halo, PokerFace) - Katy Perry

7. Como foi o ensino médio?
Hook Up - Katy Perry

8. Como você pode seguir com a sua vida?
Endless Love - Glee Cast

9. Qual é a melhor coisa sobre seus amigos?
If We Ever Meet Again - Timbaland e Katy Perry

10. O que tem programado para esse fim de semana?
Broken-Heart Girl - Beyoncé

11. Para descrever seus avós?
One Of The Boys - Katy Perry

12. Como está indo sua vida?
I'm Yours - Jason Mraz

13. Que música vão tocar em seu funeral?
Starstrukk - 3OH!3 feat Katy Perry

14. Como o mundo te vê?
UR So Gay - Katy Perry

15. Você terá uma vida feliz?
Walk In The Sun - McFLY

16. O que você deveria fazer agora?
Confusion Girl - Frankmusik

17. As pessoas te desejam secretamente?
LoveGame - Lady GaGa

18. Como posso me fazer feliz?
Looking Up - Paramore

19. O que você deve fazer com a sua vida?
Don't Stop Me Now - McFLY

20. Você terá filhos?
Say It Ain't So - Weezer

21. Você faria strip-tease com que música?
Dinosaur - Ke$ha

22. Se um homem numa van te oferecesse balas, o que você faria?
Everytime - Simple PLan

23. O que sua mãe pensa de você?
Use Somebody - KOL

24. Qual é o seu segredo mais negro e profundo?
Disappear - Beyoncé

25. Qual é a música tema do seu inimigo mortal?
Welcome To My Life - Simple Plan

26. Como é sua personalidade?
Estoy Aqui - Shakira

27. Que música será tocada em seu casamento?
Bleed - Hot Chelle Rae

28. Quais são suas aspirações?
Boyfrien - Ashlee Simpson

29. O que passa pela sua mente quando você acorda?
Garota dos meus sonhos - Area Restrita

30. O que seu namorado (como se eu tivesse HAHA) quer de você?
Pressure - Paramore

-------------
Em tempo, as minhas "férias" foram ótimas. A Solidão é um ótimo lugar pra pensar e refletir e assistir Glee. *-* E a quarta-feira depois da praia, mesmo sendo um dia sozinho, foi tão alegre. Vi alegria nas menores coisas da vida.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Vou-me embora para Pasárgada.

Querido blog,

Vou dar umas férias a você, que já me escutou tanto. Ouviu minhas dores de cotovelo, minhas carências, meu medos, minhas tristezas, minhas felicidades, meus projetos, enfim... minha vida.
Vou para meu retiro de reflexão.
Longe do mundo, da internet, das pessoas e da vida social.
Vou me dar um tempo só para mim. E para as pessoas que me cercam.
Creio que os dois lados precisam.
Quem sabe volto de lá menos meloso, menos carente e mais confiante. Em janeiro funcionou, espero que dessa vez também. Já que as pessoas vão ter esse "tempo de mim", que pensem sobre o que andou acontecendo... Na real, eu sei que não vão.
Não sei se pensam em mim.
Não sei se vão sentir falta de mim.
Não sei se vai mandar alguma coisa pra mim durante esse tempo.
E apesar de ser no plural, é pra apenas uma pessoa... que infelizmente não deve ler esse post. :~
É horrível quando tudo o que queremos é só uma mínima coisa e nem isso nos é dado. Custa dar um sinal de vida? Dizer um 'alô', querendo saber como eu to, se ainda quero algo? Custa? É mesmo pedir demais? Não sei, mas pra mim, eu acho que não... até porque ele demonstrou gostar também.
Era algo que eu estava precisando dizer.
Ficava um bolo na garganta.
Posso estar sendo precipitado, mas cara... não parecia só mais um aquela noite.
Não sei se essa viagem para Floripa vai realmente ser boa, se tudo não vai esfriar, mas é algo que eu preciso. Um tempo só para mim e meus pensamentos.
E sem meu wayfarer, que quebrou. Pelo menos ainda tenho meu mp4.

Enfim, blog. Vou viajar amanhã e volto quarta-feira. Dou-te um tempo de sentir saudades das minhas letras aqui digitadas, afinal.. você tem sido minha salvação nesses últimos tempos.
Um grande beijo e até mais.

quarta-feira, 31 de março de 2010

Dificuldades.

Todos nos queremos ser amados, encontrar a pessoa certa, ser feliz e tudo mais.
Mas e quando tudo isso dá errado?
Dá um aperto no coração, uma sensação de estar faltando algo, de que nada vai melhorar e variantes.

Quando acontece isso, pensamos o que causa tudo isso.
O coração.
Um orgão do nosso corpo. Nada mais nada menos.
Só que se pararmos pra pensar, ele não interfere em nada no que pensamos. Só no que sentimos, pois sentimos as reações dele.

Seria mais fácil que isso não acontecesse.
Pessoas não se machucariam com facilidade e tudo hoje em dia seria mais prático. Poderíamos gostar de quem quiséssemos e se a pessoa não retribuisse, simplesmente esquece-la.
Mas com o coração mandando, não é tão simples assim. É bem mais complicado.
Só que se sem o coração interferindo, tudo seria mais "distante", mas seco.
Os dois tem seus prós... e os seus contras também.

O que você escolheria:
O coração mandando e desmandando na gente ou o cérebro controlando tudo?
A dificuldade ou a praticidade?
Os sentimentos a flor-da-pele ou o sentimento seco?
A surpresa ou o controle?

segunda-feira, 29 de março de 2010

Confessions on a Dance Floor

Aquela sensação era estranha a Rafael. Fazia algum tempo que não saia. Por mais que fosse o mesmo local, o mesmo tipo de pessoas, havia algo estranho... que não lembrava o melhor tempo daquela casa. Apesar dessa sensação, hoje ele queria curtir. Sentia falta daquele local, mesmo com todos os contras e por estar sem compania.
Tinha se esquecido da demora que era pra entrar, mas tudo valia a pena, estava precisando mesmo dessa festa. Era difícil ter essa festa pela cidade e quando tinha, era uma loucura e hoje não poderia ser diferente. Assim que entrou, o clima da festa tomou conta de seu corpo, era impossível resistir a ele, simplesmente ele está lá quando você menos espera.

E a madrugada foi passando.
Foi passando.
Ele estava na pista, ainda não tinha parado.
Foi quando ele a viu.
Ela estava linda, dançando com os amigos. Rafael não sabia como chegar, ela parecia estar acima de tudo que ele havia visto. E ele não conseguia parar de olha-la.
Acabou a música que estava tocando e ele resolveu agir. Não poderia outra pessoa chegar antes. Tomou coragem e caminhou até ela.
- Hey, qual o seu nome? - Disse ele, espantado com tanta beleza.
- Alice e o seu?
Que voz linda ela tinha.
- Rafael.
Ele a abraçou, olhos nos seus olhos e então... aconteceu.
Foi uma explosão de sentimentos.
Tudo parecia acontecer no mesmo momento.
Quando uma boca encontrou a outra, houve um pequeno choque. A sensação de descobrimento foi magnífica. Os corpos se encaixando perfeitamente. As mãos percorrendo o corpo um do outro.
Os dois se revelando um ao outro no meio da pista, como uma confissão.
Ele olhava pra ela e não pedia pra estar em outro lugar.
Tudo que ele queria estava nela.
Nada mais ele precisava.
Foram pra fora da pista e sentaram na janela, mas jamais se desgrudavam. Um tinha necessidade pelo outro.
Foi quando Rafael olhou pela janela, que ficava em cima de um morro, tendo a vista de uma boa parte da cidade. Pelos vidros embaçados do calor da pista, ele se deu conta de uma coisa.
O quão sortudo ele estava sendo. Ele olhou pra ela e teve certeza.
Nada mais ele precisava.
E ficaram assim, esperando que não se separassem nunca.

quinta-feira, 25 de março de 2010

Festival Internacional de Teatro de Objetos

Está ocorrendo no Cais do Porto, em Porto Alegre o FITO.
Festival Internacional de Teatro de Objetos.
Um evento público, onde tudo é gratuito, que tem apresentações de espetáculos, esquetes, músicas, danças e brincadeiras.
Tudo que Porto Alegre mais precisa.
Cultura gratuita.

E nossa, o Teatro de Objetos é uma coisa que impressiona muito visualmente.
Faz pensar e refletir sobre tudo.
Essa tarde foi muito boa. Me senti uma criança indo pela primeira vez ao teatro. Ver cada cada objeto se transformando em outro na nossa frente. Muito lindo de se ver.
E o alto-astral do pessoal que está lá.
A energia de quem gosta mesmo.
Além da energia do Cais do Porto, magnífico cartão-postal de POA.
Tudo de bom, vale a pena conferir.

As atrações ficam lá até domingo (28), das 16h até as 20h30min. :D

E hoje também começou as minhas aulas no cursinho. Good luck for me. (yn)

domingo, 21 de março de 2010

Conselhos...

Existem pessoas e pessoas na nossa vida.
De todos os tipos.
De todos os gêneros.
De todas as intensidades.

Algumas delas ficam esquecidas durante um tempo.
E ressurgem para alguma coisa.
Afinal, tudo na vida é destino.
Nada é por acaso.

Ontem, conversei bastante com a Ana. Minha amiga que conheci pela internet por causa do show do McFLY. Falei algumas coisas pra ela e ela me disse algumas coisas.
Hoje voltamos a falar.
E falei como me sentia no momento.
Se eu não estivesse sozinho, podia jurar que ela esteve comigo e viu tudo o que eu fiz.
Adivinhou tudo como se fosse fácil.
Ok, é um pouco. HUAHUAHUA

E conversando com ela sobre isso, ela me deu o que todo amigo dá ao outro: conselhos.
Serviu pra acalmar meu jovem coração palpitante e me sinto tranquilo.
Ok, nem tanto. HUAHUAHUA

Agora é só esperar o que os dados da vida reservam pra mim...

sábado, 20 de março de 2010

Perfeita.

Let me be the one who calls you baby
All the time
Surely you can take some comfort
Knowing that you're mine
Just hold me tight, lay by my side
and let me be the one who calls you
Baby all the time

[Chorus]
I found my place in the world
Could stare at your face for the rest of
my days
Now i can breathe, turn my insides out
and Smother me
Warm and alive I'm all over you
would you smother me?

Let me be the one who never leaves
You all alone
I hold my breath and lose the feeling
That I'm on my own
Hold me too tight stay by my side
and let me be the one who calls you
Baby all the time

(...)

Let me be the one who calls you
Baby all the time[x2]

Let me be the one who calls you baby..
The one who calls you baby...

The Used - Smother Me

quarta-feira, 17 de março de 2010

Sozinho.

A solidão é um dos sentimentos mais complexos das pessoas.

Podemos estar rodeados de pessoas.
Mas nos sentimos sozinhos.
Podemos ter uma vida maravilhosa.
Mas nos sentimos sozinhos.
Podemos ter diversos sonhos a serem realizados.
Mas nos sentimentos sozinho.
Podemos estar fazendo o que mais queremos.
Mas nos sentimos sozinhos.

Quem nunca se sentiu sozinho um dia?

E quem nunca teve um amor, não digo platônico, mas... que a pessoa nem sabe que tu exista?

Esse é um dos amores mais difíceis. O que mais faz sofrer.

E diante disso, nos sentimos sozinhos. Contra o mundo.

Pra alguns é tão fácil achar o seu amor.
Mas pra outros... aah, pros outros pode ser bem complicado.
O coração realmente se governa sozinho.

sexta-feira, 12 de março de 2010

Queer As Folk

Acompanhei a série desde 2008, quando ainda estava no 2º ano.
Sabia pouca coisa sobre ela, mas sempre ouvia falar e tinha curiosidade... E ela veio em um momento certo na minha vida.
Já tinha "amadurecido" depois de 2007 e estava cada vez mais perto de mudar.
E a série falava exatamente sobre aquilo que eu queria.
Me apaixonei pelos romances, torci por algumas coisas, sofri com outras, me diverti e me identifiquei com algumas coisas. Tudo que uma série de televisão pode nos proporcionar.

Hoje vi o último episódio, depois de quase 2 anos.
Não, não sou lerdo.
Mas tive uns certos problemas pra ver a 5ª temporada.
Não terminou do jeito que eu queria, mas teve o melhor fim depois de tudo.
E eu chorei vendo os atores falarem sobre seus personagens, sobre como a série mudou suas vidas, mudou a sociedade (estado unidense) e como afetou as pessoas. Afinal, eu fui uma dessas pessoas afetadas.
Vão sentir tanta falta dos conselhos da Deb, da canalhice do Brian, do amor do Justin, da Mel e da Lindz, do jeito do Emmet, do Ted e do Michael e Ben. E todos aqueles que passaram na série e marcaram.

Como me acostumei a ver um episódio de algumas coisa e baixar algo, comecei a baixar Gossip Girl ontem. Espero que seja tão bom quanto.

E curtam tudo o que vocês gostam, sem medo do que os outros vão pensar.

quarta-feira, 10 de março de 2010

O que vai ser da vida?

Minha mãe não consegue falar com meu tio e assim a data que começa as aulas do cursinho se aproximam. Pelo menos a do Extensivo.
Ainda tem a do semi-Extensivo, que começa em maio, e o Intensivo, que é em agosto.
E fica a indecisão.
Assim como a inspiração.
Esses dias fiquei sem inspiração pra escrever... acho que usei toda no post do Oscar.
Resolvi escrever sobre a indecisão da minha vida nesses dias.

Além de tudo isso, saí pra vender algumas escolas com a Nãna. É mais difícil do que se pensa, mas temos que ter fé.
Nisso tudo, ela me fala do projeto Mais Educação e talvez eu possa dar aulas de teatro em algumas escolas, ganhando, claro.
Isso sim vai ser uma reviravolta na minha carreira.
E mais que isso, pode dar um novo rumo a minha vida.

Vamos esperar pra ver.

segunda-feira, 8 de março de 2010

And the Oscar goes to...

Não, não, não.
Eles mudaram.
Voltou a ser 'And the winner is...'
O que eu acho ridículo. A expressão era a alma do Oscar.
Quem nunca brincou de entregar o Oscar em casa dizendo a frase? O Oscar perdeu aquele brilho substituindo a frase. :I

Mas foora isso... o grande vencedor da noite foi: Guerra ao Terror.
Das 9 possíveis estatuetas, levou 6. Um filme praticamente independente, com baixíssimo orçamento, bem diferente das grandes produções que ganharam apenas Oscar "técnicos", leia-se Avatar.
A grande decepção da noite.
E eu acho que o Oscar de Melhor Fotografia não pode ser dado a um filme feito quase todo digitalmente. Efeitos visuais mereceu, além como o de Direção de Arte.

Além desses dois, o Oscar foi marcado por outras grandes figuras (umas valorizadas, outras não): Sandra Bullock,
Gaborey Sidibe, Preciosa, Bastardos Inglórios e Up - Altas Aventuras.

Sandra Bullock recebeu o Oscar de Melhor Atriz por "Um Sonhos Possível", merecidamente. Finalmente foi reconhecida pela Academia. Porém, a protagonista de Preciosa, Gaborey Sidibe merecia alguma menção honrosa. Provavelmente será a única vez que concorrerá a Melhor Atriz e ela foi fabulosa na sua atuação.
Up - Altas Aventuras é um filme fofo e o mais adulto da Pixar, levou Melhor Animação e Trilha Sonora, que realmente emociona quem o vê. Não foi surpresa, mas foi bom vê-lo em destaque.

Já Bastardos Inglórios, uma obra-prima de Quentin Tarantino ganhou apenas Melhor Ator Coadjuvante, com a magristral atuação de Christoph Waltz. É uma pena, pois transformou um assunto tão batido (2ª Guerra Mundial) em algo engraçado, divertido e vingativo de se ver, além da maravilhosa trilha sonora marcante de Tarantino. A Academia tem que abrir os olhos e ver o dom criativo de Tarantino.

Foi um Oscar fraco em piadas, mas o melhor em questão de filmes e prêmios.

Feliz Dia da Mulher a todas mulheres. :)

quinta-feira, 4 de março de 2010

If We Ever Meet Again.

Mudei o corte do meu cabelo.
Fiz algo que ninguém esperava.
Nem eu mesmo.
E adorei o resultado.

Mas parece que certas pessoas e a sociedade em geral, não.
Hoje fui nos mais diversos lugares e algumas, não todas, pessoas me olhavam como se fosse um alien. Ok, não pra mim no geral... mas pro meu novo corte.
Ele é tão estranho assim, em pleno século XXI? Acho que não, pois até um filme foi feito com o nome do penteado. huahuahua E até de straight me chamaram! Como um visual muda tudo. :P
Tudo bem que o penteado possa ser relacionado a coisas não tão boas, mas quem julga pelo superficial, nunca terá uma amizade verdadeira.

E quando ao que eu achei, além de gostar.
Pareço uma outra pessoa.
Um outro alguém.
Me olho no espelho e não me reconheço.
Parece que o Matheus que eu conhecia ficou em algum lugar do passado e esse veio no lugar dele. Apesar de ter os mesmo pensamentos, algo mudou.
Não sei o quê.
Ainda.
Mas parece que esse novo Matheus é mais forte ao mesmo tempo que mais profundo.

Maybe we did not meet again?

quarta-feira, 3 de março de 2010

Or am I just hungover? ♫

And now the party's over
And everybody's gone
I'm left here with myself

Uma das coisas que eu mais gosto de fazer é festas.
Ainda mais quando a minha casa tá liberada.
Como ontem.
Só que a de ontem foi particular, apenas para o grupo íntimo.
Mas mesmo assim, quando todos vão embora... fica aquele sentimento de vazio. :~ Algo como se onde eu estivesse fosse enorme e eu fosse só um pequeno ponto no nada.
Talvez seja a falta de alguém mais próximo, que ainda não encontrei. Ou simplesmente carência sem fim.
Whatever, o que for, passa logo depois, à noite.

---------------

P.S: Eu prometo que vou postar além de quarta e domingo. Os últimos posts foram coicidência total. haha

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Animaçã, Animaçã!


Ontem, na cidade de Porto Alegre, aconteceu um nascimento.

Mas não é um nascimento normal.
Foi o nascimento de um Palhaço.

O Palhaço Sorridente.









Ontem foi a festa de aniversário da minha sobrinha, Luiza.
Ela estava fazendo 3 anos e a equipe do Teatro Produzindo Sonhos esteve presente fazendo a Animação de Festa.

Foi muito emocionante fazer. Parece que o tempo volta e você volta a ser criança.
E eles se divertem e brincam bastante.
Ou choram e só ficam melhores contigo longe. HUAHUAHUA

Foi muito bom!

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

É impressionante!

Como as pessoas podem ser complexas...

Para certas pessoas, dizem uma coisa.
Para outras, dizem outra coisa.

E não se pode dizer o que essa pessoa sente.

Se a vida é complexa, as pessoas ainda mais.
Reflitam:*

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Quatro Anos

O que é 4 anos?
Um ciclo de Copa do Mundo? De Olimpíadas? De anos bissextos?
Em quatro anos pode acontecer muitas coisas.
É um bom tempo pra quem ainda tá começando a vida.

De 21 de dezembro de 2006 a 21 de fevereiro de 2010.

Nesse meio tempo: mudei de escola, me formei,
viajei, fiz novas amizades, namorei, sai bastante... curti a vida. E eu senti que não curtiria tanto a vida se continuasse onde eu estaria.
Na Cia Teatral Art & Ação.
Chegou um momento em que não era mais a mesma coisa. Muita intriga, muita fofoca, muita despesa, muita cobrança. E depois daquele circo armado dia 14, nunca mais seria a mesma coisa. As mentiras ditas, as acusações feitas e o sarcamo, sempre presente. Algumas pessoas estavam sendo muito hipócritas, não ia aguentar mais olhar na cara.

Claro que não foram só momentos ruins, tive grandes momentos lá dentro. Meu p
rimeiro personagem, meu melhor personagem, meu primeiro protagonista, elencos ótimos com que já trabalhei, peças divertidíssimas de se fazer... Enfim, uma lista enorme.
Foram 4 anos e não tem como se esquecer.
Pequenas coisas sim, mas não tudo. Não mudaria nada do que fiz, pois se fiz, era porque julgava ser o certo. E no fim, as coisas ruins também vão sendo esquecidas.

E é hora de recomeços. Não adianta mais olhar pra trás.

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Caindo na "Sapucaí"

Hoje, mais uma vez, vou desfilar no Carnaval de Porto Alegre.
Depois dos dois desfiles em 2008 (pela Embaixadores e Bambas), esse ano já desfilei pela Embaixadores de novo, com o Teatro Produzindo Sonhos.
E hoje caímos na Avenida no Desfile das Campeãs pelo tão merecido 4º lugar.

Sei que o carnaval de POA não pode nem ser comparado ao do Rio de Janeiro ou o de São Paulo, mas esse ano evoluiu muito!
As alegorias pareceram mais firmes e as fantasias mais elaboradas. Enfim, a coisa tende a melhorar, só precisa de mais investimento.

Estou muito feliz por desfilar de novo, mas as atividades dos últimos dias e as (poucas) horas de sono me deixaram hoje com um astral não tão bom.
Só que o compromisso foi selado e vamos ter que cumpri-lo.
Me desejem sorte.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Quando tudo acontece no mesmo dia.

Entre ontem e hoje, vazou três clipes tão esperados.
Clipes bem diferentes, com razões completamente diferentes também.
Vou postar um deles aqui com a minha opinião sobre, além de comentar os outros dois.

Avril Lavigne - Alice
Videoclipe da volta de Avril Lavigne, depois de 1 ano se dedicando a outras coisas. Música-tema do filme 'Alice no País das Maravilhas' com direção de Tim Burton. Particularmente, achei o clipe muito bom... retrata bem o drama da Alice e a sua viagem a Wonderland. Avril está linda no clipe, apesar dele ser como todos os de Soundtracks de filmes, cheio de cenas do filme... mas ela soube explorar as cenas e elas se encaixaram perfeitamente ao clipe.
Retorno triunfal, afinal esse ano ela ainda lança o seu tão esperado 4º cd.

Paramore - The Only Exception


video

Terceiro clipe do último albúm de estúdio do Paramore, 'The Only Exception' é uma balada que fala sobre a infância e a relação com o amor da vocalista, Hayley Williams. Uma história fácil, cenários lindos, performance da banda... tudo o que o antecessor 'Brick By Boring Brick' deixou a desejar. O clipe é simples, mas é perfeito, mostrando que não precisa ser exuberante pra ser bom. O melhor clipe do Paramore desse CD. Espero que não seja o último também. *-*'

Black Eyed Peas - Imma Be Rocking That Body
O quarto (e último?) single do albúm 'The E.N.D' é nada mais que uma junção de duas músicas que resultam em um clipe de 10 minutos. 'Imma Be' é uma canção meio repetitiva e chatinha até, mas no clipe fica uma ótima introdução para a parte de 'Rock That Body' que deveria ter sido single sozinho. Mais uma vez, o BEP aposta no tema futurista.

E na mesma noite, ainda teve a apresentação do Brit Awards 2010, maior premiação européia junto com o EMA. Lady GaGa performou ontem a noite e fez uma homenagem a Alexander McQueen, amigo e estilista dela que morreu essa semana.
Performou a versão acústica de 'Telephone' e uma versão reduzida de 'Dance In The Dark'. Achei a apresentação dela "simples", comparada a apresentação magistrais que ela já fez, mas é fácil entender pois ela aparentava estar muito triste pela morte de seu amigo.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

and here we go again...

Minha experiências com blogs não foram tão grandes.
Na real, foi só uma.
Uma vez fracassada.
E espero que isso não se repita. haha :P

É hora de recomeços. Em todos os sentidos.
Talvez a o motivo de ter feito um blog foi justamente por isso.
Abandonar certas coisas, deixá-las no passado. E começar coisas novas.

Então, let's start.